0
Skip NavigationMenu

projeto Peps

Numa parceria europeia entre a EPAAC (Action Against Cancer) e a União Europeia em 2009, os Estados membros e seus respetivos ministérios da saúde, organizações de doentes, profissionais de saúde e cientistas, industria e sociedade civil iniciaram um ambicioso programa Pan-europeu de colaboração no combate ao cancro de forma mais uniforme e eficaz em toda a UE.

Nesta parceria, a EONS foi convidada para participar no projeto uma vez que os enfermeiros estão diretamente envolvidos nas atividades de EPAAC. Deste encontro saiu uma declaração escrita que incluía contribuições dos enfermeiros na área da identificação, prevenção e promoção de boas práticas em oncologia, pesquisa de Enfermagem oncológica, educação e formação.

Esta parceria traduz-se em 4 pilares:

• Prevenção de Doenças (promoção da saúde e deteção precoce)
• Identificação e promoção de boas práticas em saúde relacionada com cancro
• As prioridades de investigação do cancro
• Informações de Saúde, recolha e análise de dados comparáveis​​.

O projeto EPAAC foi dividido em 10 momentos de trabalho:

• WP 1: Coordenação do Grupo de Direção
• WP 2: Divulgação e Parceria Virtual
• WP 3: Avaliação
• WP 4: Fórum Aberto e Secretaria
• WP 5: Saúde e Promoção
• WP 6: Triagem e diagnóstico
• WP 7: Saúde
• WP 8: Pesquisa
• WP 9: Informações e Dados
• WP 10: Planos National Contra Cancro

WP 7: Saúde

A EONS contribuiu para a revisão realizada pela EHMA e forneceu feedback por parte dos enfermeiros e organizações europeias de enfermagem sobre a aplicação das Orientações Clínicas e definição de barreiras. Numa primeira fase, esta organização traduziu parte do pacote de trabalho WP 7, em diferentes línguas europeias, participou nas revisões das evidências científicas encontradas e, numa segunda fase, facilitará a sua implementação nas práticas clínicas.
Existem evidências de que a variabilidade global europeia é significativa em prestação de serviços e resultados do cuidado. Resultados do cancro poderia ser melhorada se a mais ampla gama de atividades e serviços para o câncer forem realizados nos níveis mais elevados observados nos melhores sistemas de saúde, com melhor desempenho. Elementos essenciais para uma melhor assistência em oncologia são os seguintes:

• Acesso rápido ao diagnóstico
• Cuidado multidisciplinar
• A coordenação do tratamento do cancro em todo o processo desde o diagnóstico até a terapêutica, incluindo cuidados paliativos
• Prestação de serviços de atenção psicossocial
• Consideração das preferências dos pacientes no processo de tomada de decisão clínica
• Uso de diretrizes baseadas em evidências terapêuticas

Nos últimos 3 anos a EONS esteve inserida no desenvolvimento e avaliação de diretrizes PEP. Isto foi feito em colaboração com a ONS (Oncology Nursing Society Americana). Enfermeiros europeus experts em áreas especificas são convidados e diretamente envolvidos em trabalhar com a EONS sobre este importante projeto.

Fase 1. Avaliação e modificação num formato Europeu
As diretrizes PEPs foram, nesta fase, avaliadas e modificadas num formato europeu por um painel de peritos europeus selecçionados pela EONS sob propostas das diferentes associeções e sociedades de enfermagem europeias.

Dos vários especialistas selecionados, tivemos 2 elementos de Portugal: Enfermeira Esmeralda Barreira na área da Dispneia e a Enfermeira Helena Magalhães na área do linfedema. Esta fase terminou em Maio, seguindo-se uma segunda fase.

Fase 2. Implementando a evidência na prática clínica (PEPs)
A EONS convida os enfermeiros de diferentes paises europeus para participar no primeiro workshop PEPs que terá lugar em 21 e 22 Setembro 2012, em Bruxelas, Bélgica.

Este workshop será financiado pela União Europeia e EONS, promovendo as boas práticas no tratamento do cancro e gestão de sintomas relacionados. Fundamental para isso é a partilha das melhores práticas, utilizando as evidências existentes para melhorar a prática clínica. O primeiro passo neste projeto é a formação. Em seguida, num segundo momento, será o compromisso da aplicação piloto destas diretrizes nos serviços e instituições aceites e selecionadas para as implementar. Segue-se a avaliação.